Translate

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Há paredes escondidas no teu peito


Há paredes escondidas no teu peito
que se erguem
[estremunhadas]
cada vez que o riso dorme.

Há um mar que se arpoa no teu leito
à pesca de recatos
nos tapumes insulados em lençóis,
cada vez que o sol inteiro
se rende ao azul do teu sorriso.

Com o perfume do teu mar,
estou a pintar portas e janelas
nas paredes que nos separam
[pudibundas],
para que o azul se liquefaça
no sol da tua alma
de ferrolhos e cortinas despojada.


Jaime Portela


47 comentários:

Karocha disse...

Lindo Jaime e logo hoje !!!

Bjocas

BFS

lua singular disse...

Oi Jaime,
Uma poesia culta que não é fácil de entender
Preciso de uma parada, eu só quero dormir.
Mas vou melhorar
Beijos
Lua Singular

Pedro Luso disse...

Amigo Jaime, aqui sempre encontro poemas seus de inspiradas criações e técnica poética. Parabéns pelo seu Há paredes escondidas no teu peito, poema que exige atenão e leitura nos seus desvãos.
Grande abraço.
Pedro

Marta Vinhais disse...

Mas que se abrem quando o Sol invade a alma...
Porque esse é o segredo da Paixão...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Olivia disse...

Um belo perfume, esse. Gostei!

Andreia Morais disse...

Há compartimentos secretos em cada um de nós!
Belíssimo poema, como sempre.

r: Compreendo ahahah
Muito obrigada!
Continuação de boa semana*

Cidália Ferreira disse...

Lindo demais este poema! Amei.

Beijo e uma tarde feliz

Gracita disse...

A sensualidade reveladas por belas metáforas Jaime
Um poema magnifico onde revelas o amor entre dois seres completamente apaixonados
Beijos

Arthur Claro disse...

Palmas, meus parabéns pelos versos.

Arthur Claro
http://www.arthur-claro.blogspot.com

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Muito difícil de comentar o que lemos por ser um poema extremamente lírico e feito por um poeta como você Jaime!
Adorei.
Bjs-Carmen Lúcia.

Brisa disse...

Olá meu querido amigo Jaime
E é na alma que se encontra o tudo de nós...No teu mar,tens lençóis de sílabas,tão belas...Tens o perfume nos teus dedos,que vem da tua alma.

Obrigada pelas tuas palavras Jaime...Desejo-te um feliz fim de semana
Bjo


Elvira Carvalho disse...

Como é que se pode comentar semelhante poema? Não há palavras.
Um abraço

LuísM Castanheira disse...

Um amor com pudor q.b.
E as águas dum rio 'estremunhado'
Acordando as''espelhadas
Paredes.

Gostei, deveras
Um abraço

Toninho disse...

Grande Jaime, mais uma pérola de mar de poesia.
Bonita e bem inspirado.
Meu abraço e bom fim de semana.

Pedro Coimbra disse...

Vivemos um tempo em que paredes e muros se erguem por tudo e por nada :(
Aquele abraço, bfds

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Pura sensibilidade na escrita. Gostei imenso!
Abraço caro amigo.

Emília Pinto disse...


No amor não deveria haver paredes, mas elas existem e vários motivos poderiamos apontar. Mesmo entre " os lençóis" , na intimidade de quatro paredes, por vezes inexplicáveis " tapumes " se levantam impedindo que o sol entre e ilumine a alma desses seres apaixonados; nem sempre são assim tão inexplicáveis e é preciso sondar as razões e com amor, com calma " ir pintando portas e janelas" para deixar a luz entrar e assim a paixão surgir com toda a sua força. Fora das quatro paredes, no nosso dia a dia, no contacto com todos os que nos rodeiam muros se levantam e o amor não consegue espalhar-se por todos, muitas vezes culpa de corações empedernidos que não o receberam nunca, outras por desinteresse pelo que se passa à volta e dizem também, não haver tempo para afectos nesta correria que os tempos modernos exigem. Não há tempo para amar, tempo não há para abraçar, para ajudar e muito menos para conversar; muros há muitos e cortinas a tentarem tapar o sol também. Amigo, as metáforas tão bem usadas neste belo poema só tu as poderás traduzir e nem sequer ousaria tentar saber o seu significado; li, refleti e deixei que a minha alma " falasse " Entrar na alma dum poeta, creio ser impossivel, aliás, em qualquer alma só o próprio consegue e, mesmo assim nem sempre com sucesso, pois são complexas. Dizer-te que gostei muito é pouco, por isso acrescento os meus votos de que não encontres barreiras que te impeçam de amar e ser amado; se encontrares, Jaime, que consigas derrubá-las com facilidade. Um beijinho e bom fim de semana, apesar deste tempo tão mau.
Emilia

Teresa Almeida disse...



Desde logo o título me fez sorrir e encontrei o riso a seguir. Depois ... a pintura seduziu-me.

Beijinho.

luar perdido disse...

Que não existam paredes de espécie alguma; Que não exista pudor nem ferrolhos nem tapumes quando o amor se mostra assim - forte, suave, doce e liquefeitos num poema tão magnificamente dedilhado. Querido poeta, pinta as porta e janelas - melhor - rasga portas e janelas nada pode separar os amantes.

Belo querido amigo, como sempre um poema sublime.
Beijo e bom fim de semana

Silenciosamente ouvindo... disse...

Como sempre uma óptima poesia no seu blogue.
Abraço amigo.
Irene Alves

M. disse...

Poema maravilhoso e muito inspirado!
Beijinhos

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

A harmonia conquista-se alisando todos os ressaltos que possam constituir obstáculo.
Poema muito belo.


Abraço
SOL

Manuel Veiga disse...

mais um belo poema, caro Jaime
de uma sensualidade delicada (dir-se-ia, púdica)
a ocupar todo o espaço de leitura.

toda a delicadeza a derrubar muros, que quase sempre escondem tesoiros.

forte abraço, caro amigo

Majo Dutra disse...

Haja habilidade para derrubar essas barreiras
que não devem existir entre seres que se amam...
Mais uma interessante composição poética sensual.
Bom fim de semana, estimado amigo.
Beijinho.
~~~~

Minhas Pinturas disse...

Caro poeta, fugi do cansaço e vim deleitar-me e descansar nos seus versos, que sempre me encantam.
grande abraço, Léah

Graça Pires disse...

"À pesca de recatos", neste poema com uma sensualidade contida e cheio de paixão.
Um bom fim de semana, Jaime.
Um beijo.

Agostinho Barros disse...

Linda poesia :)

www.culturadeescape.blogspot.pt/

Become part of Cultura de Escape World:
Facebook PageBloglovin'Blogs de PortugalGoogle +InstagramPinterest

alfacinha disse...

Palavras deliciosas num poema perfeita
Um abraço

Agostinho disse...

Paredes, as eternas paredes, barreiras porventura num chão de medos.
Pudibudas incertezas a carecer de sol?
Bem armado, Jaime.

saudade disse...

Vim beber desse teu mar, atravessando paredes.
Gostei do que encontrei.
Beijo de....
Saudade

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Jaime.
Um poema lindo. Realmente é infelizmente o nosso coração cria paredes para nós proteger de uma paixão desenfreada. Mas sempre devemos buscar maneiras de destruir as paredes e se entregar di amor,a paixão , mesmo com a consciência que podemos fazer sagrar o nosso coração. Uma linda semana. Abraços.

Tais Luso disse...

Não há necessidade de barreiras no amor, paredes, portas e janelas impedem que se mostrem verdades, afetos e amor.
Muito bonito, Jaime.
Beijo, meu amigo.

Maria Eu disse...

Há sempre algumas paredes invisíveis, ainda que nem sempre impeçam o amor.

Beijinhos, Jaime :)

Daniela Silva disse...

Este poema arrepiou-me. Adorei!

Com muito carinho,
Diamonds In The Sky, Daniela SilvaFanpage do blog, põe um gosto!
Giveaway Mundial, Eau de Toilette Sensual Noz de Coco, Yves Rocher

Smareis disse...

Boa tarde Jaime, acho que ai já é boa noite!

São paredes que não deve existe no amor.Uma bela poesia.
Boa semana poeta!
Um beijo!

Pedrasnuas disse...

"Há paredes escondidas no teu peito" mas descobrir uma forma de pintar portas e janelas , descobrir novas formas de abrir essas paredes e comunicar através delas, é ver-te na tela de balde e pincel nas mãos. Originalíssimo !

Beijo , querido amigo JP!

Daniel Costa disse...

Jaime Portela
O amor escondido no peito, refugi-se na maior parte das vezes entre quatro paredes. Refugia-se em poemas de beleza, como o presente.
abraço

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, as paredes também são vulneráveis, no amor as paredes são ultrapassadas e as portas e janelas são pintadas de todas as cores desejadas, o poema é maravilhoso.
AG

graça Alves disse...

O mar e o amor...
Muito bonito!
Bjs

Ana Tapadas disse...

Uma maravilha...que se enraíza no oceano...

Beijinho

Vera Lúcia disse...


Olá Jaime,

O poema é belíssimo e ricamente construído.
Resta-me apreciar e aplaudir o seu talento poético.

Abraço.

MARIA DA FONTE disse...

«Há paredes escondidas no teu peito
que se erguem
[estremunhadas]
cada vez que o riso dorme.»

De mestre! Um abraço

Ana Freire disse...

Que as portas e janelas... nunca se fechem... abrindo caminho aos afectos... e sejam sempre mais fortes, do que quaisquer barreiras!...
Um belo poema, com uma mensagem muito bonita!
Inspiração sempre em alta, por aqui, Jaime!
Beijinho! Continuação de uma boa semana!
Ana

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

um poema de paixão e amor com uma mescla de sensualismo recatado.

e encerra o azul do sorriso e o azul do mar, sem esquecer o sol que está na alma.

muito belo!

beijinhos

:)

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************

Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana para todos.
Saudações poéticas.

*******************************************************************************

Odete Ferreira disse...

Há sorrisos assim, poderosos, inspiradores e instigadores.
E o poeta, como mediador, colhe deles metáforas efervescentes.
BJ, Jaime 😊
(Quando comento pelo smartphone, apenas aparece o nome, mas sou a mesma Odete Ferreira do Portate-mal)

Aleatoriamente disse...

Nesse escorrer de poesia poeta
um mar poético com ondas de preciosidades.
Você escreve tão lindo cada poema.
Gostei daqui também e muito.
Voltarei mais vezes com certeza.

Beijinho✿